segunda-feira, 17 de abril de 2017

Eu não tenho mão nela


Eu não tenho mão nela! Na verdade nunca tive! 

Pode parecer estranho dizer isto enquanto mãe, mas a verdade é que a maior parte das vezes a minha filha não me obedece. 

Imagino outras pessoas a pensarem "que vergonha! Tu és a mãe e ela tem que obedecer. Se eu mandasse o meu filho tomar banho e ele não fosse... Eles têm que saber quem é que manda! As crianças precisam de limites!" Uma vez ouvi mesmo uma mãe dizer à frente da filha "se fosse a minha Filipa levava uma palmada, não é Filipa? Conta lá como é que a mãe te faz. Essas birras são uma vergonha!"

Desde que a Mafalda nasceu que eu tento compreende-la. Ela é muito diferente do irmão e o irmão é muito parecido comigo em personalidade. Logo... normalmente sei como chegar ao Francisco, sei o que funciona com ele... basta-me pensar o que funcionaria comigo. Com a Mafalda já não é tanto assim.

Muitas vezes chocávamos e ela acabava por fazer as coisas contrariada e comigo chateada depois de me ter passado e acabado por levantar a voz. Mas não é assim que quero educar os meus filhos. 

A minha filha, com o poder dos seus 6 anos responde-me "ninguém manda em ninguém!" E sabem que mais... fui eu quem lhe ensinou esta frase, por isso mereço recebe-la de volta. A verdade, é que me ponho a pensar neste assunto e questiono porque é que queremos educar os nossos filhos a obedecer simplesmente porque somos pais. A obedecer simplesmente porque a pessoa que lhe fala é seu professor ou porque é mais velha, ou porque é tio ou avô, ou porque um dia será um patrão a mandar. E se não será mais interessante ensiná-los a questionar o que lhes é pedido. A terem vontade própria e perceberem que cada atitude leva a um resultado diferente. E que não existem culpas, mas responsabilidades! E a não fazerem nada sobre pressão ou contrariados. Porque se é assim que quero que ajam em adultos, quando lhes vou ensinar essas ferramentas?

Assim como ensinei os meus filhos que ninguém manda em ninguém, também lhes ensinei que cada atitude tem uma consequência e se as tomamos temos que ser responsáveis pelo seu resultado. Como diz o Francisco "cada caminho leva a um lugar diferente!" 

Então negoceio. E com ela parece funcionar. E comigo também!

- Mafalda anda tomar banho!
- Não quero! Quero acabar isto!
- Ou vens agora e tens ajuda, ou acabas isso mas depois tomas sozinha.

E ela decide. E escolhe a melhor opção para ela. Nem sempre acha a solução perfeita e muitas vezes reclama, mas escolhe e cumpre.

A minha filha muitas vezes não me obedece. Mas não é uma menina mal educada. Não falta ao respeito a ninguém e não faz nada que saia do seu "mundo" sem pedir autorização. Refila muito, tem uma personalidade super forte, sempre soube o que quer sem se deixar influenciar, mas respeita o outro e preocupa-se. Tem um amar doce.

Sou a maior fã da Mafalda. Admiro-a com todo o amor que tenho em mim.

Eu quero que ela cresça com uma auto-estima forte, confiante nela própria e com capacidades para escrever a sua própria história. Na verdade, quero o que qualquer pai quer, que ela seja feliz! Mas a vida não é só o futuro. A vida é agora! O que faz sentido é ela ser feliz agora. E sermos felizes as duas juntas. Então faço como a água, deixo fluir e adapto-me aquilo que ela é.

Atenção, com este texto não quero dizer que não hajam regras e que os meus filhos façam tudo o que têm vontade. Nem mesmo que não nos zangamos às vezes. Só quero dizer que, tal como qualquer criança, são seres com ideias e vontades próprias e que obedecer, não me parece o valor mais fundamental do mundo na educação.






Demasiada informação talvez...

Estou com o Francisco no super-mercado. Ele pega numa caixa de penso higiénicos e pergunta-me o que é aquilo e para que serve.

Penso... ele já tem 9 anos. Não há razão para não lhe explicar. E explico!

Ele observa-me atentamente, olha para cima e diz "obrigado universo por eu não ter nascido menina! Por favor, faz com que nas próximas vidas continue a nascer menino!!!"

Depois olha para mim e aconselha-me "Mãe... não contes já à Mafalda! Ainda é muito cedo para ela!"

sábado, 1 de abril de 2017

Anos...

Mafalda - mãe, vamos brincar com aquelas bonecas de quando eu tinha 5 anos? Eu sei já foi há milhares de anos....

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Sopa

Eu - Já viste Francisco, 6 dias sem o pai! Como é que vai ser?

Francisco - Vão ser 6 dias a sopa!

Natal com mensagem



Adoro a época do Natal.
Mas quando temos filhos que já fazem as suas prendas para oferecer e quando ainda por cima escrevem os seus pensamentos nas prendas, tudo ganha um novo sentido!
A prenda do Francisco para mim e para o pai, este ano trazia esta mensagem:
"Queridos pais,
Do meu amor para o vosso vai esta prenda para um Feliz Natal. Não têm que agradecer nem de me oferecerem algo, porque a vossa prenda é o vosso amor.
Beijinhos
Francisco"
Adoro ❤️

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Dia só de meninas


Meu amor Mafalda...

Ultimamente tens estado muito agarrada a mim. Não me podes ver sair que choras... queres abraços e beijos e até para adormeceres tenho que me deitar ao teu lado na cama. Já foste trabalhar comigo algumas vezes só porque não me queres ver partir... Agora até com os avós (com quem adoras ficar) fazes fita quando eu saio.

Sei que é uma fase. Sei que tenho que te ouvir. Sei que tenho que te abraçar. E como eu adoro os teus abraços. Sei que tenho que desligar o telefone e o computador e realmente estar contigo. E, apesar de pareceres querer sempre mais, tenho que encontrar um equilíbrio para que reconquistes a tua independência e que te sintas segura e amada. Já te fiz saber que podes sempre interromper-me para pedir um abraço. Estarei sempre disponível para te abraçar. E tu sabes isso! Pois já me colocaste à prova.

Não há nada que eu ame mais que os meus filhos! E no entanto, amo também as minhas coisas e fazer a minha vida.

Ontem, quando te ía deixar com os avós, porque estás de férias e eu a trabalhar, mais uma vez fizeste uma grade fita e eu, mais uma vez também, perguntei-te se preferias ir comigo. Mas desta vez, não te dei a lista gigante de desvantagens se fosses (que normalmente inclui apanhares seca) e as imensas vantagens se ficasses a brincar. Como te vi tão triste quando te disse que tinha que trabalhar a contrabalançar com a contra-proposta da tua avó de irem ao cinema... Como te vi limpar as lágrimas e engolir o choro porque ias resolver ficar contrariada... segredei-te "vamos fazer um dia só de meninas?". Meteste logo um sorriso na cara e eu acrescentei "Vai buscar o teu casaco e vem comigo!"

E assim foi! Hoje tivemos o nosso dia de meninas, com direito a maquilhagem, compras, almoço a duas e cinema. Não deixei de trabalhar, de facto acabei por fazer tudo o que tinha planeado, a outro ritmo e de forma diferente. Porque nem sempre o urgente é o importante.

Importante és tu meu amor.
Importante são vocês!!!


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Ser eu próprio

Como já descrevi aqui, agora a caminho da escola, criámos o hábito de agradecer ao universo. Pode ser qualquer coisa! Pode ser algo que tenhamos ou que desejamos. Pode ser até um pensamento. Um destes dias o Francisco criou um agradecimento que eu adoro: "Quero agradecer ser eu próprio!"

Que mantenha este agradecimento para toda a vida!!!! <3 p="">